Darwinismo e inovação: quem não evoluir vai desaparecer

No CEOForum de Porto Alegre 2016 eu assisti a excelente palestra do professor e consultor Mussak. Nela ele falou sobre Darwinismo, e em especial um experimento que Darwin fez nas ilhas Galápagos.

charles_darwin_by_julia_margaret_cameron_2

Charles Darwin em 1868

Galápagos, no Equador, é um arquipélago de umas 20 ilhas, próximas, entretanto distante o suficiente para um tal tipo de passarinho não conseguir voar entre elas.

Galápagos

Galápagos

Darwin constatou que tinha essa tal tipo de passarinho muito parecido em várias ilhas, mas com uma pequena diferença, dependendo da ilha em questão. O tal tipo de passarinho evoluiu de acordo com o ecossistema da ilha.

tipo1
Em uma dada ilha, o tal passarinho tinha o bico mais fino e com uma
curva na ponta. Nessa ilha tinham muitas árvores altas com uns insetos do qual o passarinho se alimentava (a curva no bico ajudava a buscar o inseto no buraco da árvore).

Na outra ilha o passarinho  tinha o bico mais duro e curto. Nessa ilha o alimento mais abundante eram castanhas de casca dura.

Na outra ilha o passarinho tinha o bico fino e longo, bom para comer frutas, o alimento abundante desta ilha.

090212darwinday_f_013
Bom, você já entendeu esse ponto: ao longo de muitos anos, a população de passarinho evoluiu de forma a se adequar ao alimento disponível no ambiente.

Dai Darwin fez a seguinte experiência: pegou alguns passarinhos de uma ilha e colocou-os em outra ilha.

O que geralmente acontecia é que os passarinhos morriam de fome. Não porque eles não conseguiam pegar alimento. Eles até conseguiam. Mas os outros passarinhos daquela  ilha eram mais rápidos para pegar o alimento. Eles estavam mais adaptados ao ambiente. E, por isso, os passarinhos menos adaptados ficavam sem ou com pouco alimento, e acabavam morrendo de fome.

Mas alguns tipos de passarinho eram mais rápidos em se adaptar a mudança (de ser colocado em outra ilha). Esses não morriam de fome.

Mas o que Darwin conclui de mais interessante não é somente que esses passarinhos poderiam viver em outras ilhas. Mas sim que a espécie deles estaria mais apta a evoluir e sobreviver na sua própria ilha.

O ponto que Darwin levantou é que a própria ilha vai mudar ao longo do tempo (imagine 500 anos). E as espécies mais aptas a evoluírem serão as que sobreviverão.

Agora pensa em como era o mundo de negócios a 50 anos atrás e o como é hoje em dia, com a aceleração da transformação digital.

digital-transformation-revenue-growth
A sua empresa pode ser comparada com esse tal passarinho. Se mudasse de ilha (mercado), provavelmente morreria.

Tudo bem. A cem, cinquenta, ou vinte anos atrás, isso não era problema. Pois não existe esse Darwin das empresas, e sua empresa não seria mudada de mercado (assim como Darwin mudou um passarinho de ilha).

Mas atualmente é bem diferente. As mudanças na sua ilha (mercado) acontecem muito mais rápido. É a aceleração da transformação digital.

Ninguém vai te mudar de ilha. Mas a sua ilha vai mudar. Olhe para as redes hoteleiras e o AirBnB; as cooperativas de táxi, a EasyTaxi e a Uber; os bancos e as FinTech. São mais e mais exemplos surgindo nos últimos anos. E está ficando cada vez mais rápido.

Inovação não é questão de transformação. É questão de sobrevivência!

E a sua empresa? Está bicando no alimento de sempre? Da mesma forma de sempre?

Se você ainda não tem uma agenda de inovação e transformação digital, corre e cria uma, para ontem.

UA-3488176-1