Lean Inception e os objetivos do produto, do negócio e dos usuários

Segue um Q&A baseado nas excelentes perguntas do Dyego Cantu sobre objetivos do produto, do negócio e dos usuários, durante as atividades do workshop Lean Inception do livro DiretoAoPonto.

pergunta 1. Objetivos do Produto: são em relação ao problema que o produto propõe resolver para os seus usuários ou ao interesse dos stakeholders? Porque várias vezes os participantes levantaram objetivos como “aumentar receita da nossa empresa” ou invés de ser uma proposta de valor aos usuários.

Excelente pergunta. Ao longo dos anos eu já fiz essa pergunta para objetivos do projeto e objetivos do produto, às vezes objetivos do produto segundo o interesse do negócio, outras segundo o interesse dos usuários.

Atualmente eu indico (vou verificar se o texto do livro está de acordo) que durante a atividade de objetivos do produto, sejam levantados os objetivos do ponto de vista do negócio; por exemplo, o objetivo “aumentar receita” já apareceu em algumas Lean Inceptions.

exemplo de agenda – Lean Inception

Mas ao apresentar a agenda da Lean Inception, logo no kick-off da mesma, eu esclareço que na atividade de objetivos de produto o foco é no negócio, enquanto que na atividade seguinte –personas—o foco é nos usuários e seus objetivos.

pergunta 2. Funcionalidades: ‘O que precisa ter no produto para que tal persona alcance tal objetivo?’. Neste caso o objetivo que a persona quer alcançar se refere a um dos objetivos definidos na etapa de objetivos do produto ou tem outra relação?

Nossa, acabei de perceber que as vezes faço a pergunta desta forma — ‘O que precisa ter no produto para que tal persona alcance tal objetivo?’ — (quando os objetivos do negócio estão mais próximos aos objetivos dos usuários) e outras vezes faço duas perguntas: ‘O que deve ter no produto para atender às necessidades desta persona? Quais funcionalidades devemos construir para atingir esse objetivo do produto?

Uma mudança sutil, mas resolve a ambiguidade: objetivos de uma persona e/ou objetivos do negócio. Vou alterar essa pergunta no livro (muito obrigado por isso!).

Nesse momento e nessa atividade —funcionalidades– estamos fazendo um brainstorming das funcionalidades e, para tanto,  usamos as personas e os objetivos do produto (1) para ajudar com o brainstorming – considerando ambos ao mesmo tempo, e (2) para evitar falar de personas ou objetivos não priorizados ou que não estão no escopo do produto abordado na Lean Inception (esses não farão parte dessa atividade).

pergunta 3. Jornadas: ‘Qual objetivo tal persona quer alcançar?’. Neste caso o objetivo que a persona quer alcançar se refere a um dos objetivos definidos na etapa de objetivos do produto ou tem outra relação?

Não, o objetivo que a persona quer alcançar não deve (necessariamente) estar relacionado a um dos objetivos definidos na etapa de objetivos do produto. Na atividade de jornada do usuário estamos descrevendo somente o objetivo de uma persona, independente do negócio.

Aliás, é muito importante ressaltar essa distinção entre a necessidade da persona e as funcionalidades do seu produto. Durante a atividade de jornada, pense na persona e na sua necessidade: descreva a jornada de um(a) usuário(a).

Cuidado para não descrever a necessidade da persona assumindo que o seu produto vai resolvê-la. Primeiro descreva as jornadas, independente do seu produto. Depois releia as jornadas, e aponte aonde as funcionalidades do seu produto melhorariam a jornada do usuário.

Escolha uma das personas já definidas na atividade de personas (provavelmente todos já estarão familiares com tal persona). Essa persona tem um objetivo dela, no âmbito do produto em questão. Por exemplo: entregar o relatório ao caminhoneiro; confirmar a partida de futebol; dividir a conta do bar. Agora descreva uma jornada dela, um passo a passo, desde um momento inicial até o fim da jornada (geralmente quando ela alcança o objetivo dela).

Eu sempre peço para os participantes da Lean Inception pensarem em uma persona e um objetivo dela, e para serem criativos e realistas detalhando a jornada dessa persona. E repito essa atividade–criar jornadas–algumas vezes.

Por vezes irão aparecer jornadas tristes, sem um final feliz (sem alcançar um objetivo com sucesso), mas isso não tem problema pois a conversa que tal jornada vai gerar será super útil para o grupo. O título dessas jornadas tristes geralmente são bem engraçados, como, por exemplo: fulano não conseguiu dividir a conta do bar e teve de lavar pratos.

Essas três perguntas são excelentes pois apontam algo sutil, mas de muita importância: a diferença entre objetivos de negócio e dos usuários.

Os melhores produtos estão na interseção de ambos, interesse do negócio e necessidade dos usuários.

Acredito que os melhores produtos estão na interseção de ambos, interesse do negócio e necessidade dos usuários. Mas durante o workshop de Lean Inception é essencial considerar essa diferença e debater os objetivos do negócio e dos usuários por prismas distintos.

Concluindo: Na atividade objetivo do produto, estamos olhando pelo ponto de vista do negócio; enquanto que na atividade jornada do usuário, estamos olhando pelo ponto de vista de um usuário. Ao pensar nas funcionalidades (e nos MVP), devemos olhar ambos!

Comentários no LinkedIn.

 

Posts relacionados:

Inscreva-se no próximo workshop Lean Inception do livro Direto ao Ponto e aprenda como alinhar as pessoas e criar o produto certo.