[Feliz dia das mães] Pela equidade de gênero na sociedade

Sou pai e tive dois filhos enquanto funcionário da Thoughtworks.

No nascimento do meu primeiro filho (2011) tive somente 5 dias corridos de licença paternidade. No nascimento da minha filha (2016) tive 4 meses: 20 dias de licença + férias + sabático.

A minha esposa ficou muito melhor nos primeiros meses deste segundo filho do que nos primeiros meses do primeiro. Muito disso se deve à minha disponibilidade e participação em casa nos primeiros meses desta nova vida.

É essencial a conscientização dos homens. Precisamos participar e estar presentes em casa em prol da liberdade das mulheres. Mas isso não é somente poucas horas de manhã, à noite e nos fins de semana.

As mulheres já passam por toda a carga física e hormonal durante e depois da gravidez. Sem contar com todo esforço, desgaste e responsabilidade relacionados à amamentação.

O homem que divide igualmente com a esposa todas as tarefas após o nascimento de um filho está fazendo muito pouco! Não é questão de igualdade, mas sim de equidade.

Dividir igualmente é pouco, muito pouco! Na Thoughtworks, lutamos pela equidade de gênero na sociedade.

Essa luta não é simples. Em 2011, quando nasceu meu primeiro filho, eu achava que dava um passo muito positivo para alcançar a igualdade de gênero.

Em 2017, eu percebo que igualdade de gênero é pouco, muito pouco. É preciso fazer muito mais para contribuir para uma sociedade mais justa, pelo menos neste aspecto de equidade de gênero.

 

Texto em homenagem às minhas avós, à minha mãe, à minha esposa e às minhas filhas.

 

Comentários no Facebook.

UA-3488176-1