Transformação não tem atalho!

Transformação. A palavra da moda. Transformação ágil, transformação organizacional, transformação digital, transformação lean… e por aí vai.

Eu estou preocupado com esse modismo. Desde que comecei a trabalhar, percebi que estamos em constante transformação.

Todas pessoas, equipes, áreas e empresas estão constantemente se transformando. E todos sempre buscam melhorias na direção daquilo que almejam (mais grana, mais usuários, mais mercado, mais funcionários, mais reconhecimento, etc).

Mas agora é moda! As consultorias estratégicas (incluindo a ThoughtWorks — parceira de várias transformações), os livros, os palestrantes. Todos estão falando (muito) sobre transformação.

A uma década atrás eu trabalhava em um projeto estratégico de transformação. Aliás, aquela empresa segue transformando até hoje. Independente daquele ou de vários outros projetos estratégicos que aconteceram.

A minha impressão é que os planejamentos, as conversas e as expectativas sobre transformação estavam mais relacionadas à transformação das pessoas.

Mas isso mudou. De repente o foco deixa de ser no caminho, nas pessoas que estão caminhando, e passa a ser no destino, no resultado, em algum objetivo final da transformação.

Muitos agentes transformadores buscam resultados rápidos. E para tanto criam atalhos. (agente transformador = pessoa que facilita o processo de transformação)

Criam atalhos ao invés de construir fundações fortes e duradouras.

Transformação é o caminho, não o destino.

A questão não é aonde você vai chegar. Mas sim a habilidade de chegar no lugar desejado.

Correr provavelmente muita gente consegue; correr uma maratona, poucos. Mas, com muito preparo, treino e força de vontade você consegue correr uma maratona.

Mas não interessa se é a maratona de Boston, do Rio de Janeiro, Tokyo ou Berlim. O que importa é a capacidade de correr uma maratona.

Transformação é assim. Cada um tem a sua maratona a completar. Mas o foco não deve ser o atalho entre o início e o final de um percurso específico da sua maratona. Não são os atalhos de um caminho que vão te tornar um maratonista. Mas sim o preparo, tudo que você faz para se tornar apto a correr maratonas.

 

Transformação não tem atalho, tem preparo!

 

Não foque nos atalhos, mas sim em tudo que vai te preparar para essa e todas as transformações por vir.

 

Comentários no Linkedin.