Essa é para quem gosta de desafios matemáticos.

make-the-right-choice-tract1-1024x649

Tem três portas na sua frente. Atrás de uma delas tem um baú com muitas moedas de ouro; e atrás das outras não tem nada.

Você só pode escolher uma porta.

Você escolhe uma porta.

Em seguida, alguém abre uma das outras duas portas e te mostra que atrás daquela não tem o baú com as moedas de ouro. E te pergunta. Você quer mudar de porta?

Pensa um pouco…

dots-line-the winner-is

… Tá. Isso é probabilidade. Você tem mais chances se mudar de porta.

Quando escolheu uma porta, tinha 33.33% de chance do tesouro estar atrás dela, e tinha 66.67% de chance do tesouro estar atrás de uma das outras duas.

um-terco

Quando alguém abre uma das outras duas, a outra porta segue com 66.67% contra os seus originais 33.33%.

Você tem mais chance se trocar de porta.

Não está convencido e gosta de matemática? Então confira esse artigo sobre este assunto.

Tá bom. Não estou aqui para escrever somente probabilidade; até porque eu sei que esse assunto gera muita discussão (um dia desses conversamos sobre  probabilidade durante o intervalo entre palestras, em alguma conferência).

Quero discutir sobre experimentos e MVP.

Considere cada porta como um experimento. Atrás de algumas delas tem um baú de ouro.

Mas são muitas portas. Dez. Cem. Mil! Você não vai conseguir abrir todas para procurar o tesouro. Dai o conceito de experimento. Algo menor que o mínimo viável de um produto–MVP.

Faça experimentos, construa um MVP. Tente uma forma rápida para validar (ou invalidar) rapidamente a sua ideia. Tweet This.

Nessa metáfora de abrir portas com alcançar o baú de moedas de ouro com o produto certo, pense em experimento como uma forma rápida para validar (ou invalidar) algo.

Imagine que você tem um mega ímã para identificar metal.

ima
Você vai poder passar na frente de cada porta e sentir se há ou não há metal do outro lado.

Pronto. Esquece a probabilidade. Pare de escolher uma porta ao acaso. Pare de tentar a sorte com a evolução do seu produto baseado numa ideia inicial.

Faça várias Experimentation Sprints. Use algo como o Validation Board. Assim  você vai invalidar de forma rápida todas as portas que nem tem metal do outro lado. Invalide logo as ideias ruins para poder dedicar mais tempo e esforço às outras (aparentemente boas).

many-experimentation-sprint

Agora restam somente algumas poucas portas. Mas você não deve escolher somente uma delas para investir todo seu dinheiro, tempo e esforço.

É aí que entra o conceito de MVP. Qual o mínimo necessário para validar cada uma dessas ideias de produto. Lembrando que o experimento já evoluiu. Agora deve existir uma hipótese mais fundamentada, ou pelo menos não invalidada.

mvp-like-this

Você já sabe que tem metal. Agora precisa saber que tipo de metal. E aqui acaba a metáfora. Aliás acho que já fui longe demais.

Experimentos devem ser mais baratos e rápidos. Devem ser muitos. O mega imã ajudou a experimentar várias portas antes de abrir algumas. O mesmo deve acontecer com experimentos e MVP. Experimentos devem ajudar com a escolha do MVP para ser colocado à prova. Para entrar no ciclo build-measure-learn.

build-measure-learn-mvp
Muitas vezes é mais facil mostrar que uma ideia ou experimento é ruim do que mostrar que a evolução desse experimento, em MVP, e depois mais outro MVP, vai gerar aquele baú com moedas de ouro.

E acredite, é isso que produtos digitais de sucesso fazem. Descartam várias ideias ruins através de vários experimentos. Dai o produto evolui a partir do MVP pensado a partir dos experimentos que não foram invalidados, que provavelmente deram um sinal positivo.

tipos-de-mvp

Sucesso em produtos digitais não é probabilidade. Não é tentativa e erro. Mas sim experimentos e MVP.

>> Confira mais sobre Lean Inception, a melhor forma de alinhar um grupo de pessoas sobre o MVP