Design Sprint e Lean Inception são dois workshops colaborativos que são frequentemente (incorretamente) usados ​​de forma intercambiável para ajudar uma equipe a se alinhar rapidamente sobre o desenvolvimento de um produto de sucesso. Na realidade, existem diferenças significativas entre esses dois métodos.

Compreender essas diferenças é a chave para escolher o caminho que funcionará melhor para o seu contexto.  Confira nesse artigo:

Em suma, o que é o Design Sprint?

Indo direto ao ponto, o Design Sprint é um workshop para construir e testar um protótipo em apenas cinco dias. É uma abordagem comprovada que encurta o processo de design-thinking tradicional e um tanto demorado em um workshop altamente eficaz que dura apenas uma semana.

Com uma equipe de design e uma agenda clara para a semana, a equipe passará rapidamente do problema para um protótipo testado de uma possível solução. #DesignSprint Tweet This.

Segunda-feira é para entender o problema. Na terça-feira, os participantes esboçam possíveis soluções. Depois, na quarta-feira, o grupo decide quais são os melhores esboços. Na quinta, é sobre a construção de protótipos. E, finalmente, na sexta-feira, a equipe testa esses protótipos com alguns usuários reais.

>> Download the Design Sprint – day by day.pdf

Em suma, o que é a Lean Inception?

Novamente, indo direto ao ponto, o Lean Inception também é um workshop comprovado usado para alinhar rapidamente um grupo de pessoas para o desenvolvimento de um produto de sucesso.  Assim como o Design Sprint, a Lean Inception também tem uma agenda clara para o workshop de cinco dias que tem atingido ótimos resultados.

Com os participantes certos e uma agenda clara para a semana, o grupo passará rapidamente da visão do produto para um plano do Produto Mínimo Viável (MVP), permitindo-lhes pensar grande, mas começar pequeno e aprender rápido. #LeanInception  Tweet This.

Segunda-feira é sobre o descrever da visão do produto e os objetivos do produto. Na terça-feira a equipe compartilhará informações sobre os usuários e suas jornadas. Então, na quarta-feira, o grupo fará um brainstorm sobre as possíveis funcionalidades do produto. Na quinta-feira, é sobre priorizar as funcionalidades dadas as perspectivas de negócio, de UX e de tecnologia. E, finalmente, na sexta-feira, a equipe decide e especifica qual é o primeiro passo para validar a hipótese de negócio (o MVP).

>> Download the Lean Inception – day by day.pdf

Como o Design Sprint e a Lean Inception são iguais?

Tanto o Design Sprint quanto o Lean Inception resolvem problemas complexos em um workshop colaborativo de design thinking bem orquestrado.  Ambos valorizam muito a compreensão do contexto de negócio e do problema antes de buscar uma solução. E ambos compartilham o foco muito semelhante, primeiramente entendendo as opções, para, posteriormente, estreitar em direção a uma solução proposta.

Quais as principais diferenças entre o Design Sprint e a Lean Inception?

  • Os participantes.  Os participantes do Design Sprint são principalmente a equipe de design (um grupo de especialistas guiando a conversa, desenhando soluções, criando e testando protótipos), os participantes do Lean Inception são as pessoas do negócio, as pessoas que representam as necessidades do usuário (muitas vezes essas pessoas também fazem parte do equipe de design) e as desenvolvedoras.
  • A tomadora de Decisão. O Design Sprint requer o papel de uma tomadora de decisões. Essa função deve ser assumida pela pessoa que assume a responsabilidade pelo produto ou solução a ser desenvolvido. No workshop de Lean Inception, não deve existir uma tomadora de decisões. É exatamente o oposto de ter uma pessoa como tomadora de decisões. Os primeiros dias do workshop Lean Inception abordam o problema de diferentes ângulos: do negócio, das usuárias e das desenvolvedoras. E no final do workshop, todo o grupo deve se alinhar e decidir sobre o MVP. É uma decisão colaborativa e alinhada.
  • O resultado. O resultado final de um Design Sprint é um protótipo, algo em que a equipe investiu muito pouco tempo e esforço, mas os ajudou a testar um conceito. O resultado final de uma Lean Inception é um plano para o MVP, algo que a equipe decidiu ser o conjunto mínimo de funcionalidades para satisfazer os clientes iniciais, validar a hipótese de negócio e fornecer feedback para os próximos incrementos do produto. Em ambos os casos, o resultado do workshop é a entrada para o desenvolvimento do produto.

Como o Design Sprint e a Lean Inception se complementam?

Opção 1 – Design Sprint (ideia), Lean Inception (MVP)

Faça um Design Sprint para a ideação e, em seguida, uma Lean Inception para definir como começar a construir e validar o produto: o MVP. A questão é que, embora alguns usuários gostem do protótipo, isso não significa que os primeiros usuários irão usá-lo ou comprá-lo. Você ainda precisa validar seu produto.

Ou, melhor ainda, você deve validar o MVP, o produto mínimo viável para validar a hipótese de negócio. Em seguida, você incrementa o produto com base no feedback de uso real. A Lean Inception ajuda você a co-criar esse plano, incluindo o negócio, o pessoal de UX (provavelmente com muitas das mesmas pessoas responsáveis ​​pelo Design Sprint) e as desenvolvedoras.

Opção 2 – Lean Inception (MVP), Design Sprint (UI)

Lean Inception para decidir o MVP e suas funcionalidades e, em seguida, um Design Sprint para decidir o melhor protótipo para o MVP. A questão é que, na Lean Inception, todo o grupo – negócio, UX e desenvolvedoras decidiu sobre o MVP. Agora deixe as designers trabalharem sua mágica, explorar opções, criar esboços diferentes e testá-los com alguns usuários reais. Você deseja validar o MVP. Mas se você não acertar, com um ótimo design, seus usuários não vão entender. Um Design Sprint é uma ótima opção para fazer o design certo, em apenas uma semana!

O que usar Design Sprint ou Lean Inception?

Não há realmente nenhuma maneira de responder a essa pergunta para você neste artigo. Tanto a Lean Inception quanto o Design Sprint são workshops poderosos e comprovados que podem melhorar muito suas chances de sucesso.  A melhor opção é familiarizar-se com os dois e experimentar vários aspectos de ambos na descoberta e no desenvolvimento do produto. Criar um híbrido de ambos é perfeitamente aceitável se funcionar melhor para você.

 

>> Comentários no LinkedIn.

 

>> Nessa quarta 19 de maio de 2021, às 18 hs (horário de Brasília) a Ana Paula e eu vamos conversar sobre esse assunto. O evento tinha lotado, mas abrimos mais vagas para você poder assistir.

 

>> Participe do próximo treinamento Lean Inception.