Scrum é a metodologia ágil mais famosa, atuando de forma simples e efetiva no que se refere ao desenvolvimento de projetos, produtos ou serviços. Com isso, o modelo é capaz de aumentar a produtividade, a otimização das atividades, bem como a satisfação dos clientes e a transformação cultural dos times ágeis.

O Scrum é dividido em ciclos denominados Sprints, que possibilitam aos times manter uma cadência de trabalho. Você verá a seguir, mais detalhes sobre essa importante ferramenta utilizada para organizar processos, eliminando gargalos e evitando problemas futuros, e que é útil em todos os lugares, podendo ser usada em diferentes áreas e não apenas em questões de software e tecnologia da informação.

Afinal, o que é Scrum?
Scrum: Como funciona?
Quais são os papéis do Scrum?
O que é Product Owner?
Qual é o trabalho de uma Scrum Master?
O que são artefatos no Scrum?
O que é Daily Scrum e quem deve participar?
Retrospectiva Scrum: quem participa?
Scrum: Como surgiu e quem criou?
Qual a diferença entre Scrum e Kanban e é possível usar os dois?
No Scrum, o que é Sprint?
Por onde um leigo deve começar no Scrum?
Se você só pudesse fazer um dos eventos do Scrum, qual seria?
Scrum: Como fazer o dobro do trabalho na metade do tempo?
É possível aplicar Scrum para RH?
Para quais situações e tipos de projetos o Scrum é recomendado?
Scrum pode ser considerado um framework ou uma metodologia para desenvolvimento de produtos?
Exemplos de aplicação de Scrum
Quais os tipos de certificação em Scrum?
Qual a certificação Scrum mais conhecida?

 

Afinal, o que é Scrum?

O Scrum é caracterizado como um framework ágil para o desenvolvimento, entrega e a sustentação de produtos complexos. Inicialmente, ele foi proposto visando auxiliar em projetos de desenvolvimento de software. No entanto, vem sendo aplicado em qualquer âmbito de projetos complexos e trabalhos inovadores e é indicado para a construção e análise de produtos com requisitos que mudam rapidamente ou são altamente emergentes.

Perfil colaborativo, multifuncional e com auto-organização são algumas das características dos integrantes do time Scrum. A realização de trabalho alinhado e de forma conjunta é o principal sinal de que uma organização está usando Scrum.

No vídeo abaixo, Paulo Caroli traz uma breve e resumida análise sobre o significado de Scrum.

Vídeo: Ágil Além do Software | Scrum

 

Scrum: Como funciona?

O Scrum sugere que cada Sprint, ou seja, cada ciclo comece com uma breve reunião de planejamento e termine com uma reunião de revisão do trabalho realizado. Além desses dois encontros, é recomendada, ainda, a realização de mais um evento a cada Sprint: a chamada retrospectiva.

Nesse contexto, ao desenvolver um produto fazendo uso de Scrum, são estabelecidos ciclos curtos e cadenciados (por exemplo, Sprints semanais). Dessa forma, de Sprint a Sprint, o time Scrum alinha, acompanha o trabalho, além de possibilitar melhoria contínua.

Com o Scrum, diariamente e no mesmo horário, o time se encontra por volta de quinze minutos para inspecionar o progresso do incremento do produto, para verificar o andamento do trabalho atual e para ajustar os próximos trabalhos. Esse evento com as reuniões diárias é chamado de Daily Scrum.

Imagem: Livro Sprint a Sprint (http://www.caroli.org/livro/sprint-a-sprint)

 

Quais são os papéis do Scrum?

 Os times Scrum possuem três papéis específicos:

  • Scrum Master (SM).
  • Product Owner (PO).
  • Desenvolvedoras.

O primeiro é a Scrum Master (SM), uma pessoa experiente com o framework que possui a responsabilidade de garantir que ele seja entendido e aplicado. Nesse papel, o objetivo principal é maximizar a eficiência do time.

Product Owner (PO) é o segundo papel específico. A pessoa neste papel representa o negócio, os clientes ou os usuários e orienta o time para a construção do produto certo. Priorizar o backlog com base no alinhamento entre as partes interessadas, tanto internas quanto externas ao time Scrum é a sua principal função. A PO maximiza valor por meio de um processo contínuo de desenvolvimento de produtos, guiado por aprendizado e experimentação.

Todas as demais pessoas do time Scrum são consideradas desenvolvedoras, logo, o terceiro papel do Scrum. Essas são as pessoas de habilidades variadas comprometidas em criar todo e qualquer incremento do produto.

 

O que é Product Owner?

Como vimos acima, Product Owner (PO) é o segundo papel específico do Scrum e, desse modo, passa a liderar o esforço de desenvolvimento, por meio de esclarecimentos e priorizações sobre o trabalho.

PO: Centro do time Scrum

Tipicamente, a PO trabalha com o Product Backlog, a lista mestre dos requisitos do produto a ser criado. Ela passa a ser a peça-chave do framework, tendo em vista que participa da: Daily Scrum, lidera sessões de refinamento, de Sprint Planning, participa das retrospectivas do time, lidera o direcionamento estratégico do produto, faz FDP do trabalho (Fatiar, Descartar e Priorizar) e muito mais.

Em uma metodologia como o Scrum, que promove o trabalho em equipe e o alinhamento cadenciado via Sprints, baseado na clareza e envolvimento de cada papel e de cada reunião, a PO assume papel primordial, o qual promove o alinhamento entre todas as partes interessadas, sendo elas internas ou externas à equipe Scrum.

Vídeo: Como a Lean Inception e o PBB ajudam o PO?

 

Qual é o trabalho de uma Scrum Master?

A Scrum Master assume um dos principais papéis no Scrum, auxiliando o time a tornar-se mais efetivo, alinhado e autônomo. É importante lembrar que a Scrum Master passa a ser uma especialista em processos, mas não em conteúdo. Isso tudo pelo fato de atuar de forma neutra, sem interferir diretamente no conteúdo das discussões do time.

A Scrum Master é uma guia que estará fomentando a colaboração do time e resolvendo possíveis empecilhos durante a Sprint. Para isso, a Scrum possui muita familiaridade e experiência com o framework Scrum, sua natureza colaborativa, seus artefatos e eventos.

Entretanto, o papel de fomentar a colaboração não significa que a Scrum Master seja a participante principal. Muito pelo contrário. A Scrum Master deve ser uma mediadora, aquela que propicia a busca de soluções e conversações ativas entre todos as pessoas do time Scrum, e possíveis stakeholders externos. Consequentemente, o trabalho da Scrum Master é garantir o sucesso do time.

Em outras palavras, o objetivo da Scrum Master é dar suporte ao time para que possam realizar cada atividade planejada para a Sprint, dedicando-se à entrega e aos incrementos do produto, e assegurando-se de que este seja gerado de acordo com as expectativas e metas.

Vídeo: Até onde vai o papel do Scrum Master como coach do método ágil e líder servidor do time?

 

O que são artefatos no Scrum?

No Scrum, os artefatos têm o objetivo de maximizar a transparência e promover o alinhamento sobre o trabalho.

O Scrum possui três artefatos:

  • Backlog do produto.
  • Backlog da Sprint.
  • Incremento do produto.

O backlog do produto e o backlog da Sprint descrevem o trabalho a ser desenvolvido, respectivamente, para o produto e para a Sprint.

Já o incremento é um pedaço do produto que ainda será desenvolvido. Cada incremento é adicionado aos incrementos previamente entregues e alguns deles podem ser criados em uma Sprint. Para fornecer valor, todos e cada um dos incrementos deve ser utilizável.

O livro Product Backlog Building (PBB): Um guia prático para criação e refinamento de backlog para produtos de sucesso também trata sobre o tema de artefatos Scrum. Fique atento, pois, em artigos futuros, iremos abordar o PBB, bem como a escrita de histórias do usuário.

 

O que é Daily Scrum e quem deve participar?

A reunião diária visando verificar o andamento das tarefas de trabalho do time Scrum em relação a meta da Sprint é chamada de Daily Scrum. Nesse encontro, entra em pauta e avaliação o que foi feito pelo time no dia anterior, são identificados impedimentos e priorizadas as atividades a serem realizadas no dia que se inicia.

Participam desse encontro todos os integrantes do time, que respondem normalmente a três perguntas para promover o alinhamento diário de todos:  o que fiz ontem, o que vou fazer hoje e o que está impedindo o progresso do meu trabalho para alcançar a meta da Sprint. Com essas respostas, cada membro da equipe assume seu compromisso perante os demais.

 

Retrospectiva Scrum: quem participa?

Todo mundo que integra o time Scrum deve participar da Retrospectiva. É um momento primordial, tendo em vista a oportunidade de buscar melhoria contínua em relação ao processo, à qualidade e eficácia, sobre a entrega e interação entre os participantes.

Retrospectivas ajudam um time a alcançar o sucesso. Cada pessoa traz uma experiência de vida diferente, uma perspectiva diferente. Retrospectivas eficazes deixam todos confortáveis, alinhados e prontos para fazer parte da melhor experiência possível.

Você sabe qual é o principal elemento da melhoria contínua? É uma equipe eficaz e comprometida. Nesse sentido, o livro FunRetro: atividades e ideias para tornar retrospectivas ágeis mais envolventes tem as ferramentas necessárias para desenvolvê-la!

 

Scrum: Como surgiu e quem criou?

Jeff Sutherland é um dos nomes mais importantes quando se fala em Scrum. Isso tudo, por ser considerado um dos “pais” do Scrum, um dos criadores do método, fundador da Scrum Inc. e também coautor do manifesto ágil.

Em conjunto com Ken Schwaber, Jeff criou o Scrum em 1993. A iniciativa foi criada na Easel Corporation com o objetivo principal de mudar a forma como o desenvolvimento de software era gerenciado. No entanto, diversos outros profissionais também contribuíram para a metodologia chegar no ponto que está hoje.

Há registros de que a primeira base para o framework do Scrum foi mencionada em 1986, em um artigo de Hirotaka Takeuchi e Ikujiro Nonaka publicado na Harvard Business Review. Em “O novo jogo de desenvolvimento de novos produtos” os autores compararam os processos de criação de produtos a esportes. Foi aí que surgiu o comparativo de Scrum a um jogo de Rugby: o ideal era que toda a equipe jogasse ao mesmo tempo, passando as tarefas para frente ou para trás até que chegasse no objetivo.

 

Qual a diferença entre Scrum e Kanban e é possível usar os dois?

O Kanban é um método formulado por David J. Anderson  para gestão do fluxo de trabalho de um processo incremental e evolutivo. Esse método, influenciado pelo modelo Toyota Just-In-Iime, se baseia em visualizar o fluxo de trabalho e, a partir disso, atuar no processo para não sobrecarregar os membros da equipe.

Vídeo: Ágil Além do Software | Kanban

O Kanban pode ser visto como uma ferramenta de comunicação para rapidamente adquirir conhecimentos e alinhar ações entre os membros de uma equipe. O objetivo principal é dar a todos os membros da equipe uma visão compartilhada do processo e do estado do atual do trabalho. Desta forma, o Kanban provê representações visuais para as fases de trabalho, as pessoas e o trabalho.

Tendo em vista que Scrum e Kanban são métodos para tornar um trabalho ou projeto ágil, colaborativo e organizado, é muito comum a combinação e o uso conjunto dos mesmos. Corey Ladas criou a denominação Scrumban para mostrar a integração de ambos.

Por outro lado, quando começando a aplicar uma prática, a combinação da mesma com outras pode trazer confusão quanto ao entendimento da mesma. Neste caso a escolha entre começar com Scrum ou com Kanban deve ser feita considerando o perfil do negócio, as suas necessidades e metas de médio e longo prazo.

Vídeo: Scrum Vs. Kanban 2021 [Afinal, Qual é o MELHOR em 2021?] 

 

No Scrum, o que é Sprint?

A Sprint, como visto anteriormente, tem o papel principal de promover uma cadência, tipicamente de uma a quatro semanas, dependendo da preferência do time. No mundo ágil Scrum, são evitadas descrições completas e detalhadas sobre como tudo deverá ser feito na Sprint. Essas questões serão definidas pelo time de desenvolvimento, que saberá a melhor maneira de resolver os problemas.

É por isso que a reunião de planejamento do Sprint é descrita em termos de metas e resultado desejado. Este é um compromisso com um conjunto de funcionalidades a serem desenvolvidas no próximo Sprint, buscando, desse modo, o equilíbrio entre autonomia, flexibilidade e comprometimento do time. Tal compromisso é revisitado ao final da Sprint, na reunião de revisão.

 

Por onde um leigo deve começar no Scrum?

Comece definindo a cadência do time: por exemplo: Sprints de uma semana.

O modelo Scrum sugere que cada Sprint comece com uma breve reunião de planejamento, e termine com uma reunião de revisão do trabalho realizado no final da Sprint.

Escolha os dias e horários para essas duas reuniões. Por exemplo: Planejamento nas segundas, das 8 às 9 horas, e Revisão nas sextas, das 16 às 17 horas.

Estes são os princípios do gerenciamento de projetos Scrum: ciclos curtos e cadenciados com reuniões de alinhamento (planejamento e revisão). Isso é o básico do básico.

Na sequência, converse sobre o acompanhamento da evolução do trabalho (Daily Scrum) e melhoria do time (retrospectiva).

Escolha o horário das Daily Scrum: por exemplo, diariamente das 10h às 10h15min. Cabe salientar que essa reunião é para ser informativa e rápida.

Marque também um horário recorrente para a busca da melhoria contínua, para a reunião de retrospectiva. Por exemplo: nas quartas, das 16 às 17 horas.

Uma vez que o time se acostuma à cadência, vá além e melhore a forma de lidar com os papéis – Scrum Master, PO e equipe multifuncional de desenvolvedores – e os artefatos. Como o time está fazendo retrospectiva, provavelmente o próprio time vai estar buscando essas melhorias.

 

Se você só pudesse fazer um dos eventos do Scrum, qual seria?

A retrospectiva. Independente de como e por onde o time começou, ao fazer a retrospectiva o time estará apontando para o próximo passo, a próxima melhoria – seja ela em relação ao evento, papel ou artefato – a ser realizada.

Vídeo: Se você só pudesse fazer um dos ritos do Scrum, qual seria? 

Cabe lembrar que as retrospectivas devem ser eficientes e leves (fun), especialmente, pois serão várias e várias retrospectivas no percurso de um time. O site e livro FunRetrospectives – www.FunRetrospectives.com – te ajudam a planejar e executar retrospectivas com muito sucesso.

 

Scrum: Como fazer o dobro do trabalho na metade do tempo?

No livro Scrum: a arte de fazer o dobro do trabalho na metade do tempo, do autor Jeff Sutherland e o coautor J.J. Sutherland, é posta a reflexão de que equipes com alta performance eram aquelas que apresentavam, entre outras características, o fato de serem multidisciplinares e terem autonomia para trabalhar.

Para eles, é possível fazer o dobro do trabalho na metade do tempo com o uso do Scrum, pois tem justamente essa abordagem a ser contemplada, trabalhando métricas com foco em resultado e em melhorias contínuas, onde as retrospectivas assumem papel de destaque para avaliar e se aprimorar.

Mas, vamos além: o maior desperdício é fazer de forma muito eficiente algo que não deveria ser feito, mesmo que você a faça em metade do tempo. Práticas modernas, como a Lean Inception e o PBB complementam o Scrum para ajudar na busca da eficácia e da eficiência. Que tal alcançar a exponencialidade, muito mais que o dobro em metade do tempo?!

 

É possível aplicar Scrum para RH?

Sim, o autor João Paulo Coutinho destaca que, especificamente na área de Recursos Humanos, uma vez que muitas das atividades são contínuas, com um começo e dificilmente um fim:

“Os sprints mais curtos nos ajudam a buscar inovação ao implantar metas mais palpáveis à realidade organizacional, ao passo que o planejamento, adaptação e avaliação, o feedback, fazem parte da rotina na relação da área com os clientes atendidos. O maior valor está em ir se adaptando e melhorando conforme o feedback do usuário”.

 

Para quais situações e tipos de projetos o Scrum é recomendado?

O Scrum foi inicialmente formalizado para projetos de desenvolvimento de software, mas tem sido aplicado para qualquer âmbito de projetos complexos e trabalhos inovadores. Com isso, seu uso é muito adequado em projetos com requisitos que mudam rapidamente ou são altamente emergentes.

 

Scrum pode ser considerado um framework ou uma metodologia para desenvolvimento de produtos?

Scrum é um dos muitos frameworks ágeis. Em geral, todos os frameworks ágeis funcionam entregando grandes projetos em pequenos pedaços – pequenos incrementos. À medida que cada incremento do produto é concluído, as equipes revisam a funcionalidade e, em seguida, decidem o que criar a seguir com base no que aprenderam e no feedback que receberam.

Esses ciclos frequentes de inspeção e adaptação reduzem o desperdício e minimizam o risco. As equipes fazem isso até entregar o produto ou serviço completo, ou até que o que lançaram até agora atenda às necessidades do cliente.

É comum que times Scrum utilizem também o conceito de Produto Mínimo Viável (MVP) para validar logo se os incrementos do produto estão entregando valor aos usuários e para gerar insights sobre o caminho a seguir.

 

Exemplos de aplicação de Scrum

Embora tenha ligação com o desenvolvimento de software, o Scrum pode ser aplicado a qualquer trabalho em equipe e em diferentes segmentos.

Exemplo de Scrum aplicado na área de Recursos Humanos (RH), referenciado pelo autor João Paulo Coutinho:

Ele faz menção ao livro Scrum para leigos. Os autores Mark Layton e David Morrow trazem o exemplo da Parexel Informatics, empresa americana que atua no setor de biofarmacêutica, que precisava contratar em um curto espaço de tempo mais de 20 colaboradores.

“A empresa enfrentou vários desafios: ela não contava com um time de recrutamento ou integração para facilitar a transição dos novos funcionários na organização. A empresa aplicou o Scrum, realizou uma Planning, identificou um mapa de prioridades e iniciou “sprints de uma semana” para monitorar o progresso. No prazo de sete semanas, a Parexel havia contratado, treinado e integrado 21 novos profissionais para trabalharem no novo projeto. Time unido para atingir o objetivo, monitorando o andamento do trabalho, inspecionando e adaptando quando necessário”.

 

Exemplo de Scrum aplicado em Projeto de Software nas Ferrovias Holandesas – estudo de caso: 

Conforme relato neste estudo de caso, uma ferrovia holandesa tinha a necessidade de desenvolvimento de um software de informações de viagens para os passageiros. Horários, destinos, intervalos, deveriam ser exibidos em displays e comunicados através de som automaticamente.

O artigo aponta que uma das exigências do cliente era ter a possibilidade de ver o projeto funcionando em etapas, desde o início e não somente na entrega final do produto. Com a utilização do Scrum, foi possível fazer entregas incrementais, com uma maior participação do cliente em todas as fases e melhor gerenciamento de todas as equipes envolvidas no projeto.

 

Exemplo de Scrum ao organizar um casamento – relato do Design Thinking Coach, Fernando Figueiredo Virgilio:  

A aplicação do Scrum em um evento como casamento pode auxiliar, entre outros aspectos, na economia de tempo, dinheiro e redução de stress. Neste exemplo, é posto que a construção do backlog do casamento, uma lista com todos os itens que fariam do evento um sucesso, como: fotógrafo, decoração, convites, igreja, comida etc.

O outro passo seria priorizar o backlog do casamento, ou seja, classificar os elementos por prioridade. Ao planejar a Sprint, os noivos se questionariam o que seria preciso para concluir cada item. O casal pode definir uma cadência para as reuniões de acompanhamento. E na retrospectiva, é a oportunidade para discussão da Sprint e avaliar quais pontos poderiam ser melhorados.

 

Quais os tipos de certificação em Scrum?

Temos como exemplo sites oficiais visando à obtenção de certificação sobre o tema. Um deles é o site Scrum Alliance, que conta com diferentes tipos de certificações por função da Equipe Scrum. Outro, é o site Scrum.org, que também fornece diversas avaliações que podem ser usadas como ferramentas para examinar, aprimorar e certificar o seu conhecimento relativo ao Scrum.

Aqui na Caroli.org, ministramos diversos treinamentos exclusivos e autorais sobre o assunto, onde você pode obter certificações complementares. A participação nesses treinamentos inclui, ainda, e-book do treinamento, material de apoio, aprendizado e networking. Acesse o menu de Treinamentos em nosso site e fique por dentro da nossa agenda de atividades.

 

Qual a certificação Scrum mais conhecida?

Existem diversas certificações Scrum. No entanto, as mais conhecidas são a Scrum Master (certificação disponível em PSM – Scrum.org ou CSM – Scrum Alliance) e a Scrum Product Owner (certificação também disponível em PSPO – Scrum.org ou CSPO – Scrum Alliance).

Tenha benefícios direto sobre os temas das certificações com os treinamentos da Caroli.org:

 

 

Gostou deste conteúdo?

Na Caroli.org há, dentre outras coisas, diversos materiais relacionados ao tema. Acesse agora e dê continuidade ao seu processo de conhecimento e aprendizado, bem como na construção de um produto de sucesso.